Podia ter vivido um amor Grand’ Hotel.

Grand’ Hotel é uma música que foi lançada em 1991 pela banda Kid Abelha. Foi escrita pelo trio George Israel, Lui Farias e Paula Toller. Eu não diria que, necessariamente, tenho uma história com essa canção (muito bela, por sinal!). Ela estava ali fazendo a trilha ambiente da minha infância, sem que eu me atentasse para isso. Anos 1990 e meu tio adolescente colocava as fitas cassete pra rodar no gravador. Fã das bandas de rock dos anos 1980 e exímio apreciador de música nas alturas, meu tio não deixaria faltar Kid Abelha em sua playlist. Estava lá a Paulinha cantando enquanto eu brincava de pique esconde com as minhas primas, no quintal.

Kid Abelha é assim: um caso curioso de músicas que sei cantar sem lembrar direito como e nem por quê. Só sei que é bom! Mais tarde, meu amigo violonista e cavaquinista Brown Sousa a sugeriria para a fazermos juntos pra o canal. Eu (que nem gosto de receber indicações de coisas pra ouvir e cantar de mentira que eu adoro, sim) me amarrei na ideia! Principalmente porque, mais tarde, também, a Paula Toller seria uma grande inspiração pra mim. Nossos timbres se assemelham em leveza e alcance de agudos. Ela sabe muito bem o que fazer com a voz e ouvi-la é aprender e me espelhar nisso.

Grand’ Hotel é a descrição do típico amor imaturo que não cultiva o tempo certo para plantios e colheitas. São os impulsos do ego que falam mais alto sem se importarem com as consequências. É a tradução poética da dor do arrependimento, das dúvidas sobre ter feito diferente. É a preferência pelos extremos: se amar como eu amo não dá certo, então, será que é melhor não amar? É aquele sentimento, sabe, tão intenso que não questiona o que é o amor, que não aceita outras condições, que não enxerga o que a inexperiência não pode mostrar. É uma melodia doce e melancólica de uma história que poderia ter sido mas não foi.

Sorte nossa que as coisas têm um tempo certo para acontecer, né? Tudo o que vem é reflexo do que sentimos e de como sabemos lidar, até aquele momento. Atraímos situações e pessoas em sintonia com a nossa sintonia. Dor é oportunidade. Dor é evolução.

Aí vai o cover que fizemos (a long time ago) de Grand’ Hotel :*


Autor: Maria Clara

Cantora e compositora. Canto desde que me entendo de gente. Acredito que toda verdade interior descoberta precisa ser compartilhada. Um viva às relações humanas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s