Aqui tem mais samba, meu bem!

Amanhã (8), a partir das 21h, a cantora Laís Xavier apresenta seu novo projeto intitulado “Aqui, tem mais samba!”. Na ocasião, a artista interpretará choros e sambas de renomados compositores, a exemplo de Cartola e Jacob do Bandolim e, também, sucessos dos repertórios de grandes nomes da MPB como Maria Rita e Roberta Sá. O show conta com as participações do Trio Aquarela e os cantores Surama Rheis e Marcílio Avlis. Vai ser no Casato Bistrô que fica na Avenida Rui Barbosa, no bairro das Graças, no Recife. O couvert artístico custa R$20.

foto-laís-xavier
Foto: Keissy

Laís sobe ao palco acompanhada pelos músicos Isaque Santos (violão 7 cordas), Daniel Coimbra (cavaquinho) e Jefferson Lopes (percussão). As três participações especiais farão a abertura do show além de duetos com a cantora. Ao falar sobre a escolha do repertório para este novo projeto de 2019, ela explica que a ideia era reunir o clássico e o atual. “Todas as músicas têm um significado, mas aí você vai ter que assistir pra entender”, acrescenta, sorrindo.

O cantor Marcílio Avlis conta que se sentiu surpreso e apreensivo ao ser convidado por Laís para fazer um dueto, no show, pois não conhecia a música que farão juntos. “Mas depois que ouvi, me apaixonei pela canção. Eu fiquei muito feliz com o convite, eu sempre torci pelo trabalho dela e acompanho todos e é maravilhoso poder participar desse projeto lindo”, diz ele.

Parceiros em projetos outros profissionais, a exemplo do Vocal 4/4, onde cantam juntos, Marcílio e Laís, também, são grandes amigos. “Somos de brincar um com o outro, ajudar, de conversar sobre nossos relacionamentos, dar conselhos, ela é genial e o seu canto mais genial ainda”, declara o músico.

Amiga e colega de profissão há quatro anos, por intermédio do grupo MPB Unicap, Surama Rheis, que é uma das cantoras convidadas do show, afirma sua admiração pela beleza e identidade vocal de Laís. “Ela chegou ao MPB um tanto tímida, mas nunca me enganou, tanto que eu viva instigando-a a soltar tudo e liberar aquele vozeirão que ela traz guardado. E quando eu quero brincar com algumas cantoras eu sempre fico perguntando: e aí minha filha, quando é, mesmo? Quando é mesmo, o quê? Quando é mesmo que você vai soltar todo esse potencial pra a gente conhecer de verdade? E Laís fez isso com muita maestria. Fico muito tranquila quando a indico para os amigos que gostam da boa música o show de Laís Xavier. Laís tem um cuidado com a escolha do repertório, o modo como conduz, é muito lindo o trabalho dela. Daí não tem como dar errado”, conta a cantora.

Segundo Surama, Laís consegue transmitir, no palco, o cuidado com o trabalho musical preparado. “Ela envolve, embala, conduz o público que eu tenho certeza, só tende a crescer a cada show realizado. Quando ela solicitou que eu indicasse algumas canções para serem apreciadas, eu fiquei muito grata e como não tenho nada de meu, enviei o meu repertório completo para que ela pudesse compor sua obra de arte. Eu me senti muito grata por ser uma das convidadas a dividir esse momento com ela, tentar acrescentar junto ao grande trabalho que Laís vem fazendo”, diz ela.

Estudante do curso técnico em Canto Popular do Conservatório Pernambucano de Música (CPM), Laís Xavier afirma estar se descobrindo em alguns elementos do universo musical assim como em outros se reafirma, mas percebe um carinho especial pelo samba que estará presente no seu primeiro trabalho autoral de estúdio. “Nada me dá mais arrepio que esse gênero musical que é, tipicamente, brasileiro e que transmite tanta verdade. Dessa forma, eu me identifiquei, rapidamente, com o samba e com o choro. Eu acho de vital importância fazer com que esse estilo musical chegue para as novas gerações, que é o que eu pretendo fazer no meu EP de lançamento. Os jovens conhecem o samba, sabem que existe, mas é tudo muito superficial por conta do imediatismo da geração 2000. Se o samba é pouco conhecido, o choro nem existe pra eles. Eu quero fazer com essa cultura chegue pra esse público”, diz ela.

LAÍS XAVIER – Com 23 anos de idade e 10 de carreira, iniciou sua vida musical na igreja. Sempre muito tímida, era na música que encontrava segurança para desenvolver melhor suas relações pessoais, a partir do contato com o público. O amor pela sua forma preferida de comunicação cresceu e veio a vontade de se aprimorar mais na área. Em 2015, iniciou seus estudos no Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO), onde frequentou aulas de canto e teoria musical. Em 2018, foi aprovada no teste e garantiu vaga no curso técnico do Conservatório Pernambucano de Música (CPM), para trabalhar, ainda mais, as potencialidades de seu principal instrumento: a voz. Paralelamente aos estudos vocais, também toca violão e ukulelê.

Além da carreira solo, atua como vocalista nos grupos Vocal 4por4 e MPB Unicap, tendo passagem por grandes palcos como dos teatros Luiz Mendonça, Guararapes e Santa Isabel. Em 2014, começou sua trajetória como compositora, escrevendo a canção “Maré Vermelha”. Para 2019, planeja gravar o seu primeiro EP, com repertório autoral.

Serviço
O quê? Show Aqui, tem mais samba! (Laís Xavier)
Quando? Amanhã (08/02/2019) às 21h
Onde? Casato Bistrô (Avenida Rui Barbosa, 1503, Graças, Recife/PE)
Quanto custa? R$20 (couvert artístico)

Vou cantar, você vem?

E aí, migos? Eu vou dar um recital. Vai ser a conclusão do meu curso técnico em Canto Popular. Penso em escrever sobre tudo o que isso envolve, mas pra agora, basta dizer que é um evento aberto ao público, com entrada franca, que vai acontecer no Auditório/Estúdio Cussy de Almeida do Conservatório Pernambucano de Música na próxima segunda (10), às 19h30.

Vai rolar um repertório bacana com Bossa Nova, MPB, música regional, internacional e uma autoralzinha. Reuní um time fantástico de músicos extraordinários (Kyara Muniz – voz / Flávia Spencer – voz / Gabriel Sena – clarinete / Roberto Silva – saxofone alto / Raphael Lima – violão / Flávio Vieira – guitarra / Leonardo Felisberto – piano e teclado / Filipe de Lima – contrabaixo elétrico / Silva Barros – bateria / Diôgo Monte – percussão) que estão me ajudando a preparar esse momento. Venha ver!

Arte: André Levy / Foto: Laís Xavier

Vou deixar algumas informações sobre minha breve carreira de cantora: 

Maria Clara – É cantora e compositora pernambucana natural de Paulista, Região Metropolitana do Recife. Seus primeiros contatos com a música aconteceram muito cedo por intermédio do seu pai que era músico autodidata. Aos 12 anos, compôs sua primeira música e nunca mais parou. Seu repertório passeia por gêneros como MPB, Samba, Reggae, Bossa Nova, músicas regionais e internacionais. É graduada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), estudante de Violão Popular do Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO) e integrante do Vocal 4 por 4, sob a direção musical do professor Ivan Ferreira. Ao conciliar as duas profissões, atua, ainda, como assessora de imprensa para diversos artistas locais e é autora do blog jornalístico e literário Fuá de Clara.

Serviço:
O quê? Recital de Conclusão – Curso Técnico em Canto Popular – Maria Clara
Quando? 10 de dezembro, às 19h30
Onde? Auditório/Estúdio Cussy de Almeira / Conservatório Pernambucano de Música (Avenida João de Barros, 594, Santo Amaro, Recife)
Quanto custa? Entrada franca

Conservatório Pernambucano de Música comemora seus 87 anos

Duas noites de muita música comemoram o aniversário da instituição

Amanhã (16), a partir das 20h, o Conservatório Pernambucano de Música (CPM) abre sua tradicional comemoração de aniversário, no Teatro Santa Isabel, com concertos gratuitos. A instituição, que este ano completa 87 anos, traz os músicos Antônio Menezes e André Mehmari, a Orquestra de Câmara de Pernambuco e o Coro de Câmara do CPM para duas noites de muita música. Para quem estiver interessado em assistir, os ingressos estarão disponíveis na bilheteria do teatro uma hora antes do início dos dois eventos.

Na noite de amanhã, se apresentam o pianista, compositor e arranjador carioca André Mehmari e o violoncelista pernambucano Antônio Menezes com o recital AM60AM40 que celebra os 40 e os 60 anos dos músicos, respectivamente. No repertório, composições de grandes nomes da Música, a exemplo de J. S. Bach, Ernesto Nazareth e Tom Jobim.

1500333157301
Antônio Menezes e André Mehmari / Foto: Estúdio Monteverd

Na quinta-feira (17), a partir das 20h, é a vez da Orquestra de Câmara de Pernambuco e do Coro de Câmara do CPM em uma apresentação conjunta que realizará um repertório de árias de óperas, as Bachianas Brasileiras Nº5, em homenagem aos 130 anos do compositor Villa Lobos, e trechos de musicais a exemplo do Fantasma da Ópera e A Noviça Rebelde. “Estamos caminhando para o centenário do Conservatório e é muito bom poder comemorar mais um aniversário oferecendo, ao público, uma amostra da produção musical de lá, já que esses grupos são formados por professores, estudantes e ex-estudantes do CPM”, diz José Renato Accioly, regente da Orquestra de Câmara de Pernambuco.

coro de cãmara
Coro de Câmara do CPM / Foto: divulgação

Noventa músicos, entre instrumentistas e cantores estarão no palco. Os solistas Diego Luri (barítono), Gleyce Melo (soprano) e Mônica Muniz (mezzo-soprano) abrilhantarão a apresentação junto com os convidados especiais Rodrigo Cruz (barítono), Natália Duarte (soprano) e Flávio Soares (tenor).

Serviço
O quê? Aniversário do Conservatório Pernambucano de Música
Quando? Amanhã (16) e quinta (17), às 20h
Onde? Teatro Santa Isabel (Praça da República, s/n, Santo Antônio, Recife)
Quanto custa? Entrada gratuita (ingressos disponíveis na bilheteria do teatro uma hora antes de iniciar o evento)