Nonô Germano é atração confirmada em evento gratuito ao ar livre, no Recife

Em sua terceira edição, o Espiral das Artes reúne, no próximo dia 18, artesanato, moda, gastronomia, oficina e música em um só lugar. O evento acontece na Praça Dr. José Vilela, no Parnamirim

O Espiral das Artes vem firmando seu espaço no cenário de eventos culturais gratuitos e ao ar livre do Recife. No próximo dia 18, a partir das 10h, o evento realiza sua terceira edição com a proposta inovadora de agregar diversas linguagens artísticas em um só lugar. A Feira Espiral, o Polo Arte do Sabor, a Moda Espiral e o Espiral de Terapias fazem parte de uma programação extensa que finaliza às 20h com apresentações musicais. O evento acontecerá na Praça Dr. José Vilela, no Parnamirim.

Foto: Laís Xavier

Durante todo o dia, visitantes de todas as idades poderão aproveitar o melhor do artesanato pernambucano com produtos a variados preços, acessível a todos os gostos. De comidas típicas a pratos reelaborados com toques exclusivos, o evento também oferece boas opções na área da gastronomia. Roupas, acessórios e outros itens para compor o visual estarão disponíveis para quem não dispensa o diferencial dos pequenos empreendedores. A previsão é a de que 80 expositores participem do evento.

Foto: Laís Xavier

Produzido pela Cultura Iminente, o Espiral das Artes tem a proposta de estimular a economia local e promover o bem-estar. “Nós entendemos que cultura, natureza e bem-estar conversam, intimamente. Por isso, o evento, também, oferece a possibilidade de o público experimentar ou praticar algumas terapias integradas como massoterapia, auriculoterapia, reflexologia e shiatsu com a nossa equipe de profissionais do Espiral de Terapias”, explica o coordenador do evento e diretor da Cultura Iminente, Rodrigo Silva. Em sintonia com essa proposta, o evento tem, ainda, como ponto de programação o Reconexão Espiral com o artista e psicoterapeuta transpessoal Mário Morêda (Baw).  Nela, ele mostra a arte como uma possibilidade de expressão e facilitadora da conexão de cada indivíduo consigo, contribuindo para a saúde integral. Dessa maneira, a expressão artística viabiliza a prevenção em saúde e uma sociedade mais saudável. Baw tem trabalhado no desenvolvimento de diversas linguagens expressivas atuando na equipe do Espaço Rizoma, como músico da banda MeioLocal, como ator do grupo NAVA de teatro, como pintor e poeta independente.

Foto: Laís Xavier

Entre as parcerias do Espiral das Artes estão a Em Cena Arte e Cidadania, a Ecoe Sustentabilidade, o Bonsai Itinerante, a Faz Terra e a artesã Tia Bel Mimos que vêm com uma proposta solidária, sustentável e de aprendizado, respectivamente. A Em Cena Arte e Cidadania é uma associação da sociedade civil sem fins lucrativos, que atua, no Recife, com a missão de promover educação artística, cultural e cidadã a crianças e adolescentes. Também, desenvolve atividades de ensino, pesquisa e produção na área de artes cênicas, compreendendo dança,  teatro e música. Na terceira edição do evento, o público será convidado a conhecer um pouco do trabalho da associação, em seu stand, podendo contribuir para a campanha de arrecadação que o Espiral das Artes está promovendo para seu público alvo. Os interessados em contribuir podem levar itens de material escolar e brinquedos para doação. 

A Ecoe Sustentabilidade é uma empresa de prestação de serviços de consultoria na busca de soluções socioambientais que colabora para que pessoas e organizações se desenvolvam de maneira mais sustentável e alcancem o #LixoZero. Quem visitar seu stand vai conhecer um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido pela Ecoe e entrar em contato com as ações de consultoria, educação e estudos, assim como seus produtos. Na proposta de promover um ambiente sustentável para os visitantes, o Espiral das Artes, em parceria com a Ecoe, realizará, em sua terceira edição, a Operação Copo Eco. “Nosso diálogo com os expositores da Feira Espiral tem sido o de diminuir o consumo de copos descartáveis no evento, o que, também, gerará uma economia financeira para eles. Como forma de combatermos os impactos ambientais, ofereceremos a possibilidade do Copo Eco assim como o do canudo compostável”, explica a empresária Suzane Galeno. Quem se interessar pelo Copo Eco, poderá adquirir o de 200ml por R$5 e o de 400ml por R$7. Dez por cento da renda dos copos será doada para a Em Cena Arte e Cidadania, parceira do evento no Espiral Solidário.

Foto: Laís Xavier

O Bonsai Itinerante utiliza a arte Bonsai como ferramenta para preservação ambiental, terapia ocupacional, auto conhecimento, disciplina e paciência a todos os envolvidos. Há quase 5 anos no mercado, utiliza espécies nativas de nossa região estimulando o conhecimento de  plantas do nosso diversificado bioma e tornando o elo entre a arte Bonsai e o artista uma experiência única. Realiza expedições itinerantes por praças, parques e mercados públicos da cidade. Nelas, vende Bonsai, vasos, ferramentas e dá dicas de cultivo e manutenção. A Faz Terra intenciona sensibilizar as pessoas para a urgente necessidade de se repensar consumo, mercado, logística reversa e a responsabilidade individual do cidadão em tratar do seu próprio “lixo” in loco. Isso acontece pela oferta de serviços educativos e soluções para transformação dos resíduos orgânicos sólidos, de cozinhas residenciais (casas e condomínios) e industriais, em solo bom. A instalação de sistemas de compostagem, assistência técnica, promoção de oficinas e treinamentos sobre compostagem e agricultura urbana estão entre as atividades desenvolvidas pelo grupo, além de vendas de composteiras/minhocários, minhocas, adubo orgânico líquido, húmus de minhocas e acessórios. O trabalho acontece associado a parceiros das artes plásticas e promotores de eventos culturais. No Espiral das Artes – Espiral Sustentável, a Faz Terra levará seus serviços e produtos ao conhecimento do público com eventuais intervenções educativas/recreativas sobre assuntos relacionados ao tratamento de resíduos, agricultura urbana e meio ambiente. Tia Bel Mimos é artesã e vai dar uma oficina gratuita de reciclagem de latas para transformá-las em objetos de decoração.

A partir das 16h, Maracatu de Baque Virado Nação Gato Preto, Coco de seu Mané e Nonô Germano são as atrações que encerram a programação do Espiral das Artes, no Palco Espiral. O maracatu de baque virado Nação Gato Preto foi fundado no ano de 1989 na comunidade do Alto Santa Terezinha, na rua Alto dos Coqueiros com a finalidade de resgatar e mudar tanto a vida jovens que vivem em situação de rua como o combate às drogas. Hoje, o Maracatu é formado por 80 pessoas da própria comunidade, tem como presidente e dono do Maracatu, Claudio, mais conhecido como Babau, e os mestres Léo e Pinha. Nonô Germano, no auge dos seus mais de 30 anos de carreira, desponta no meio musical com seu mais novo projeto, o “Frevo de Balada” que vem com uma pegada mais moderna e jovem, com novas composições e arranjos. O laboratório do projeto foi o “Frevo Música Pra Pular Brasileira” (FMPB) que traz canções do frevo tradicional e também músicas consagradas de outros artistas em ritmo de frevo. 

Confira a programação completa do Espiral das Artes:

Das 10h às 20h:
Feira Espiral (artesanato da região)
Espiral Solidário (com a Em Cena Arte e Cidadania)
Polo Arte do Sabor (comidas típicas da região até pratos reelaborados com toques exclusivos)
Espiral Sustentável (com a Ecoe Sustentabilidade)
Moda Espiral (acessórios e outros itens para compor o visual)
Espiral de Terapias (massoterapia, auriculoterapia, reflexologia e shiatsu)

11h:
Reconexão Espiral (artista e psicoterapeuta transpessoal Baw)
Oficina Espiral (com a artesã Tia Bel Mimos)

15h:
Oficina Espiral (com a artesã Tia Bel Mimos)

16h:
Palco Espiral (Maracatu de Baque Virado Nação Gato Preto, Coco de Seu Mané e Nonô Germano)

ESPIRAL DAS ARTES – No ar desde novembro de 2019, é um evento multicultural gratuito e mensal criado com a proposta de reunir diversas linguagens artísticas em um só lugar como artesanato, moda, gastronomia, música, dança, teatro e circo. Conta, também, com espaços dedicados a oficinas artísticas, sustentabilidade, terapias integradas com shiatsu, massoterapia, auriculoterapia e reflexologia e doações a ONGs e Instituições. Em sua terceira edição, já recebeu artistas como Mayara Pêra, Banda Triinca, Vocal 4por4, Mateus Bezerra, Sargaço Nightclub e Zeca Viana.

SERVIÇO:
O quê? Espiral das Artes
Quando? Dia 18 de janeiro de 2020, das 10h às 20h.
Onde? Praça Dr. José Vilela que fica na Avenida 17 de Agosto, no bairro do Parnamirim, Recife/PE (próximo ao Shopping Plaza)
Quanto custa? Entrada gratuita

Música, dança, circo e moda animam a Feirinha da Torre

O público terá entretenimento gratuito e para todos os gostos no bairro da Torre.

Muita música, apresentação de danças urbanas e arte cênica para quem quer entretenimento de qualidade e gratuito. Amanhã (13), na Praça José Sales Filho, não faltará motivos para o público curtir atrações das mais variadas. A programação faz parte da 7ª edição da Feirinha da Torre e contará com a presença de artistas locais de diversas áreas.

Para início das apresentações o grupo Q-RISO promete prender a atenção do público de todas as idades com seu teatro de bonecos.

Q-RISO

Em seguida o grupo Kings On The Beats coordenado por Felipe Alexandre, dará um show de danças urbanas.

Kings On The Beats

A programação segue com a banda Dona Chica, formada no Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO), traz um repertório eclético nas vozes das cantoras Andreza Pontes, Kyara Muniz e Jullyanne Santos, além dos músicos Guilherme de Araújo, Anny Barreto, Júlio da Cunha e Romário Thomaz, contando, ainda, com a participação de Thiago Torres.

Dona Chica

Para fechar as apresentações do palco cultural, a banda RAIZ DE VENTO descortina a noite com a poesia de sua música, levando ao público o som marcante e singular de seu trabalho autoral.

Também à tarde, o evento contará com a presença de Ana Peroba que irá conversar sobre moda e estilo. A atividade ajudará o público com dicas sobre as novas tendências e como montar seu look de forma prática e econômica, aproveitando, inclusive, aquelas peças que foram retiradas do uso ou deixadas temporariamente de lado e que, facilmente, encontramos nos brechós da Feirinha.

A presença de mais de 70 expositores garante a satisfação de quem já está se acostumando com o evento a cada segundo sábado do mês! Os moradores do bairro da Torre elogiam a iniciativa que contribui com o meio ambiente, com a ciência, o artesanato e a diversidade cultural pernambucana e a consciência ambiental promovida pela Economia Circular. A Feirinha se reinventa a todo o momento e conquista o público pela qualidade e variedade.

A Praça José Sales Filho fica na Av. Beira Rio, esquina com a Rua Conde de Irajá. À sua frente o Rio Capibaribe contribui para uma das mais agradáveis vistas da Cidade. Segundo os organizadores, a Feirinha visa contribuir com a valorização do espaço, estimulando a convivência e incentivando a preservação do local.

Na próxima edição acontece ainda a oficina de construção de brinquedos com material reciclável e um acervo de brinquedos e livros infantis estará disponível para as crianças se divertirem. O ‘Ciência na Praça’, projeto criado pela pesquisadora Roberta Leme, continuará proporcionando as pessoas conhecimento científico nas mais variadas áreas do saber. Para a 7ª edição, a Universidade Federal Rural de Pernambuco, que segue em parceria com o projeto, trará professores que irão levar ao público informações sobre zoonoses (doenças infecciosas de animais, capazes de ser naturalmente transmitidas para o ser humano).

A Feirinha da Torre começa às 10h e as atrações estão marcadas para ter início às 16h. A entrada é gratuita e o evento encerra às 20h.

SERVIÇO:
O quê? Feirinha da Torre
Quando? Dia 13 de julho de 2019, das 10h às 20h.
Onde? Praça José Sales Filho (Esquina da Av. Beira Rio com Rua Benjamin Constant, bairro da Torre, Recife.)
Quanto custa? Gratuito

Este texto é uma produção da Cultura Iminente, produtora que nasceu com o propósito de anunciar e contribuir com o movimento contra a cultura de massa. A proposta é difundir a cultura que se faz urgente, que está próxima, que é local e que quer alçar voos mais altos.
Conheça a Cultura Iminente:
facebook.com/culturaiminente/
@culturaiminente

Recife tem a única escola de ilustração do Brasil

Situada no bairro de Casa Forte, a Usina de Imagens forma jovens e adultos ilustradores há quase quatro anos.

A Usina de Imagens é uma escola de formação de ilustradores criada em agosto de 2015 pelas ilustradoras Rosinha e Anabella Lopez. A iniciativa nasceu do desejo de repassar, para uma nova geração de ilustradores, suas experiências e conhecimentos adquiridos, ao longo de anos, no mercado editorial de livros para crianças e jovens. O espaço fica na Rua Doutor Luiz Ribeiro Bastos, no bairro de Casa Forte/Recife, e está reservando vagas para o próximo semestre, com início marcado para o dia 2 de agosto.

Com vários prêmios nacionais e internacionais em seu currículo, Rosinha largou uma carreira consolidada na área de Arquitetura para se dedicar, totalmente, à ilustração e à literatura. São 120 livros publicados e prêmios como os da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), o Açorianos, o Jabuti, o Cátedra Unesco PUC-RIO e o White Ravens.

Rosinha
Foto: Divulgação

Já Anabella Lopez, argentina que escolheu viver em Porto de Galinhas, no litoral sul pernambucano, é graduada em Design Gráfico pela Universidade de Buenos Aires e se especializou em Identidade Corporativa e Tipografia. Com vários prêmios em sua bagagem como o da FNLIJ, o Jabuti e o Cátedra Unesco PUC-RIO, também conta com mais de 40 livros publicados no Brasil, na Argentina, no México, nos Estados Unidos, no Canadá, na França e nos Emirados Árabes Unidos.

Anabella Lopez
Foto: Divulgação

As duas se conheceram por intermédio de um editor que tinham em comum. Após ficarem amigas, não demorou a surgir a ideia de criar a primeira escola de ilustração do Brasil. “Pensamos em uma estrutura de curso formatada no intuito de potencializar o processo de criação. Aqui, estão sintetizados anos de nossas experiências no mundo editorial. Nosso objetivo é contribuir para uma formação consistente e autoral. A metodologia é dinâmica e fluida e faz com que o aluno encontre o caminho de um discurso visual próprio”, explica Anabella Lopez.

O curso é composto de um total de seis módulos independentes. Em cada módulo, um tema principal é aprofundado teoricamente e os demais trabalhados simultaneamente. “São realizados dois módulos por ano, com a duração de quatro meses cada. Ao final dos seis módulos, oferecemos mais dois módulos de Projeto para a criação de um livro autoral, colocando em prática todo o conhecimento adquirido ao longo da formação”, diz Rosinha.

Os interessados em garantir sua vaga podem fazer a reserva através do e-mail usina.ilustra@gmail.com ou pelos telefones das próprias ilustradoras (81) 99633.1395 (Rosinha) ou (81) 97907.4135 (Anabella). A mensalidade custa R$ 320.

SERVIÇO:
O quê? Escola de ilustração Usina de Imagens
Reserva e inscrições? usina.ilustra@gmail.com ou pelo celular/WhatsApp (81) 99633.1395 (Rosinha)/(81) 97907.4135 (Anabella)
Onde? Bunker Coworking. Rua Doutor Luiz Ribeiro Bastos, 51 Casa Forte, Recife-PE.
Quanto custa? R$ 320 mensais

Este texto é uma produção da Cultura Iminente, produtora que nasceu com o propósito de anunciar e contribuir com o movimento contra a cultura de massa. A proposta é difundir a cultura que se faz urgente, que está próxima, que é local e que quer alçar voos mais altos.
Conheça a Cultura Iminente:
facebook.com/culturaiminente/
@culturaiminente