Jonatas Onofre Quarteto lança seu segundo single nas plataformas digitais

Anderson Silva na guitarra, Ksandro Azevedo no baixo, Nando Zé na bateria e Jonatas Onofre no vocal e no piano: essa é a formação musical que, desde 2017, vem encantando o público pernambucano com apresentações ao vivo de um som que, segundo o grupo, experimenta a canção brasileira em vários gêneros. Após dois anos de ensaios e shows pelo estado, Jonatas Onofre Quarteto lança, no próximo dia 08, às 23h, sua segunda gravação de estúdio de nome Luz na Luz. O grupo estreou, nas plataformas digitais, há uma semana com o single Vítima Ínfima, que é um retrato real e sentimental da condição da população negra, no Brasil.

Foto: Alexia Dias

Luz na Luz chega como uma continuidade desse discurso falando de resistência, de esperança, de encontrar um lugar no mundo. “Em tempos de ausências, distâncias e desencantos é muito importante manter os pés firmes na possibilidade do sonho e insistir num gesto de reencontro com a terra. Luz na luz é sobre essa caminhada de retorno às forças primitivas, ao mesmo tempo que, também, é a sugestão de futuros luminosos. Ali onde seja possível reexistir para muito além da mera resistência”, explica Jonatas. Com letra de Luann Ribeiro em parceria com Jonatas Onofre, que a musicou, Luz na Luz é capaz de embarcar o ouvinte num misto de sensações traduzidas em melancolia, ao mesmo tempo força e beleza. O arranjo inicia suavemente, depois cresce junto com os vocais do cantor.  

Foto: Alexia Dias

O single foi mixado e masterizado no Estúdio Muvuka e será lançado, oficialmente, em todas as plataformas digitais e nas redes sociais de Jonatas Onofre Quarteto. A produção executiva do trabalho é da Cultura Iminente. “Até a data de lançamento, o público poderá sentir a mensagem do single aos poucos em um esquema de informações, curiosidades e bastidores e até contagem regressiva com direito a pedaços da obra a serem revelados em um material de publicação específico para as redes sociais do grupo. É um trabalho de muita sensibilidade, de muita verdade e de muita necessidade para o cenário atual da sociedade brasileira”, diz Rodrigo Silva, diretor da Cultura Iminente.

Acompanhe as novidades do grupo no Instagram: @jonatasonofrequarteto
Ouça Vítima Ínfima (1º single do grupo):

O QUARTETO – O Jonatas Onofre Quarteto surgiu em 2017 com um repertório que atravessava o disco “Aparicíon”, lançado por Jonatas Onofre no mesmo ano, e mais algumas canções inéditas ou presentes em outros trabalhos do músico, como o disco-intervenção “Qui tolles vulnere”, também lançado em 2017. A partir do formato quarteto, os novos arranjos foram elaborados em colaboração com os três parceiros (Anderson Silva na guitarra, Ksandro Azevedo no baixo e Nando Zé na bateria). Em 2019 o grupo retoma a proposta de uma apresentação focada na construção de atmosferas poético-musicais a partir das canções mais representativas do universo criativo de Jonatas Onofre, repensadas num contexto de banda incluindo agora canções do trabalho solo mais recente “Caaporã”. 

Em dois anos de estrada a parceria entre os quatro amigos músicos, já rendeu shows em cidades como Igarassu, Goiana e Recife. Apresentaram-se no Festival Íntimos no Roma Café (Goiana/PE – 2017), no lançamento da IV coletânea Recife Lo-fi na Mansão do Amor (Recife/PE – 2017), no ato em comemoração aos cinco anos do Ocupe Estelita (Recife/PE – 2017) no Rolê Experimental do Mundo Novo (Recife/PE – 2017), na primeira edição do Igarassu Sonoro no Paranã Puka (Igarassu/PE – 2018), na Feira Agroecológica da Várzea (Recife/PE – 2018), na casa Jambo Azul (Recife/PE – 2018) lançando, no final de 2018, o novo show “Aparicíon + Caaporã” e no Terra Café (Recife/PE – 2019). 

Canção brasileira experimentada em vários gêneros é o que melhor pode definir (jamais totalizar) o som produzido pelo grupo. Jazz, blues, afoxé, salsa, rock progressivo a partir de temas que vão desde a crítica às injustiças sociais, racismo e esvaziamento das relações humanas aos caminhos misteriosos do sagrado, da amizade e do autoconhecimento. Além dos shows com o trio ao longo desses anos, Jonatas Onofre também dividiu o palco com Aninha Martins, Matheus Mota, Flor de Mulungu, Sam Silva e Projeto Tertúlia.

Jonatas Onofre Quarteto estreia com lançamento de singles

Anderson Silva na guitarra, Ksandro Azevedo no baixo, Nando Zé na bateria e Jonatas Onofre no vocal e no piano: essa é a formação musical que, desde 2017, vem encantando o público pernambucano com apresentações ao vivo de um som que, segundo o grupo, experimenta a canção brasileira em vários gêneros. Após dois anos de ensaios e shows pelo estado, Jonatas Onofre Quarteto lança, no próximo dia 18, às 23h, sua primeira gravação de estúdio de nome Vítima Ínfima.

“A canção surgiu do desconforto diante de uma percepção, cada vez maior, da condição do povo preto e pobre no mundo e, principalmente, no Brasil. Também, de um sentimento de revolta perante as lembranças da infância das muitas situações de violência testemunhadas ou relatadas por pessoas próximas. Diante das dores, Vítima Ínfima é uma sugestão de recomeço, procurando na poesia um outro lugar, um destino luminoso para os que só conhecem uma herança de sofrimento”, conta Jonatas. Com letra e música de Jonatas Onofre, Vítima Ínfima é um retrato real e sentimental da condição da população negra, no Brasil. É um grito silenciado, anteriormente, por anos, de um sofrimento que passou velado pela sociedade. A música tem uma mensagem, expressa em letra, melodia e arranjo, muito forte e toca num lugar profundo e sensível da história do país. 

Jonatas Onofre

O single foi mixado e masterizado no Estúdio Muvuka e será lançado, oficialmente, em todas as plataformas digitais e nas redes sociais de Jonatas Onofre Quarteto. A produção executiva do trabalho é da Cultura Iminente. “Até a data de lançamento, o público poderá sentir a mensagem do single aos poucos em um esquema de informações, curiosidades e bastidores e até contagem regressiva com direito a pedaços da obra a serem revelados em um material de publicação específico para as redes sociais do grupo. É um trabalho de muita sensibilidade, de muita verdade e de muita necessidade para o cenário atual da sociedade brasileira”, diz Rodrigo Silva, diretor da Cultura Iminente.

Duas semanas após o lançamento de Vítima Ínfima, no dia 1º de fevereiro, Jonatas Onofre Quarteto lançará o segundo single desse trabalho autoral como uma continuidade desse discurso.

Acompanhe as novidades do grupo no Instagram: @jonatasonofrequarteto

O QUARTETO – O Jonatas Onofre Quarteto surgiu em 2017 com um repertório que atravessava o disco “Aparicíon”, lançado por Jonatas Onofre no mesmo ano, e mais algumas canções inéditas ou presentes em outros trabalhos do músico, como o disco-intervenção “Qui tolles vulnere”, também lançado em 2017. A partir do formato quarteto, os novos arranjos foram elaborados em colaboração com os três parceiros (Anderson Silva na guitarra, Ksandro Azevedo no baixo e Nando Zé na bateria). Em 2019 o grupo retoma a proposta de uma apresentação focada na construção de atmosferas poético-musicais a partir das canções mais representativas do universo criativo de Jonatas Onofre, repensadas num contexto de banda incluindo agora canções do trabalho solo mais recente “Caaporã”. 

Em dois anos de estrada a parceria entre os quatro amigos músicos, já rendeu shows em cidades como Igarassu, Goiana e Recife. Apresentaram-se no Festival Íntimos no Roma Café (Goiana/PE – 2017), no lançamento da IV coletânea Recife Lo-fi na Mansão do Amor (Recife/PE – 2017), no ato em comemoração aos cinco anos do Ocupe Estelita (Recife/PE – 2017) no Rolê Experimental do Mundo Novo (Recife/PE – 2017), na primeira edição do Igarassu Sonoro no Paranã Puka (Igarassu/PE – 2018), na Feira Agroecológica da Várzea (Recife/PE – 2018), na casa Jambo Azul (Recife/PE – 2018) lançando, no final de 2018, o novo show “Aparicíon + Caaporã” e no Terra Café (Recife/PE – 2019). 

Canção brasileira experimentada em vários gêneros é o que melhor pode definir (jamais totalizar) o som produzido pelo grupo. Jazz, blues, afoxé, salsa, rock progressivo a partir de temas que vão desde a crítica às injustiças sociais, racismo e esvaziamento das relações humanas aos caminhos misteriosos do sagrado, da amizade e do autoconhecimento. Além dos shows com o trio ao longo desses anos, Jonatas Onofre também dividiu o palco com Aninha Martins, Matheus Mota, Flor de Mulungu, Sam Silva e Projeto Tertúlia.