Madrugada é o lançamento musical autoral de Laís Xavier

O advogado e percussionista Jefferson Lopes é, também, poeta. Um dia, ele mostrou um de seus escritos interminados para a cantora, compositora  e amiga Laís Xavier. Ela, então, musicou o poema e completou sua letra. Foi assim que nasceu Madrugada, primeiro single autoral da artista pernambucana, regado a muito zelo e delicadeza pela produção musical de Marcelo Rêgo que, também, assume o contrabaixo elétrico e a guitarra do fonograma, assim como Jefferson assume a percussão. A gravação e a mixagem ficaram por conta do Sammy Barros Music Studio.

Madrugada foi lançada, recentemente, em todas as plataformas digitais. É fruto de um trabalho maduro da cantora, que vem se apresentando, há anos, pelos palcos do Recife e região. A inspiração da música veio de uma outra interpretação da primeira parte da letra, recebida por Laís das mãos de Jefferson. “Minha primeira sensação foi a de havia alguém buscando satisfazer suas vontades sexuais após um dia de trabalho. Quando adicionei a voz da mulher, eu quis igualar o direito de voz de ambos os gêneros, de uma maneira delicada, demonstrando que a mulher tem, também, as suas necessidades”, explica Laís Xavier, que divide os vocais com o cantor Rodrigo Serafim.

Conheça Madrugada:

LAÍS XAVIER – Com 23 anos de idade e cantora já há 10 anos, a pernambucana Laís Xavier iniciou sua vida musical na igreja, como muitos cantores. Sempre muito tímida, era na música que a artista encontrava segurança para desenvolver melhor suas relações pessoais, a partir do contato com o público. O amor pela sua forma preferida de comunicação, já que também tem graduação em Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), só cresceu e veio a vontade de se aprimorar mais na área. Em 2015, Laís iniciou seus estudos no Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO), onde frequentou aulas de canto e teoria musical. Em 2018, foi aprovada no teste e garantiu vaga no curso técnico em Canto Popular do Conservatório Pernambucano de Música (CPM), para trabalhar ainda mais as potencialidades de seu principal instrumento: a voz. Paralelamente aos estudos vocais, também toca violão e ukulelê. Além da carreira solo, Laís atua como vocalista nos grupos Vocal 4/4 e MPB Unicap, tendo passagem por grandes palcos como dos teatros Luiz Mendonça, Guararapes e Santa Isabel. Em 2014, começou sua trajetória como compositora, escrevendo a canção “Maré Vermelha”. Em 2019, a artista lançará o seu primeiro EP, com repertório autoral.

MARCELO AUGUSTO RÊGO DE OLIVEIRA – Recifense. Arquiteto de formação. Músico autodidata e compositor (letras e músicas). Iniciou-se na música ainda na adolescência, influenciado pelo gosto por bandas do rock nacional e internacional dos anos 80 e 90. Iniciando a carreira como baixista em 1995 participou da fundação de bandas como o Mantra-X (1997), Blush (2000, banda que contava entre outros integrantes com Enio Damasceno [Mellotrons, Phalanx Formation]) e Ultravórtice (2005). A princípio tocando covers do rock nacional e internacional anos 80 e 90, logo iniciou seu trabalho como compositor tanto de músicas como letras, chegando a tocar em locais importantes dentro da cena de Recife, como o Docas bar, no Recife Antigo, e o Carnaval Descentralizado de Recife. Atualmente, segue como baixista da banda de rock alternativo A HEAD AHEAD e lidera o projeto musical Sargaço Nightclub, onde é vocalista e guitarrista e segue compondo suas canções ou fazendo releituras de artistas locais na cena indie recifense.

Aqui tem mais samba, meu bem!

Amanhã (8), a partir das 21h, a cantora Laís Xavier apresenta seu novo projeto intitulado “Aqui, tem mais samba!”. Na ocasião, a artista interpretará choros e sambas de renomados compositores, a exemplo de Cartola e Jacob do Bandolim e, também, sucessos dos repertórios de grandes nomes da MPB como Maria Rita e Roberta Sá. O show conta com as participações do Trio Aquarela e os cantores Surama Rheis e Marcílio Avlis. Vai ser no Casato Bistrô que fica na Avenida Rui Barbosa, no bairro das Graças, no Recife. O couvert artístico custa R$20.

foto-laís-xavier
Foto: Keissy

Laís sobe ao palco acompanhada pelos músicos Isaque Santos (violão 7 cordas), Daniel Coimbra (cavaquinho) e Jefferson Lopes (percussão). As três participações especiais farão a abertura do show além de duetos com a cantora. Ao falar sobre a escolha do repertório para este novo projeto de 2019, ela explica que a ideia era reunir o clássico e o atual. “Todas as músicas têm um significado, mas aí você vai ter que assistir pra entender”, acrescenta, sorrindo.

O cantor Marcílio Avlis conta que se sentiu surpreso e apreensivo ao ser convidado por Laís para fazer um dueto, no show, pois não conhecia a música que farão juntos. “Mas depois que ouvi, me apaixonei pela canção. Eu fiquei muito feliz com o convite, eu sempre torci pelo trabalho dela e acompanho todos e é maravilhoso poder participar desse projeto lindo”, diz ele.

Parceiros em projetos outros profissionais, a exemplo do Vocal 4/4, onde cantam juntos, Marcílio e Laís, também, são grandes amigos. “Somos de brincar um com o outro, ajudar, de conversar sobre nossos relacionamentos, dar conselhos, ela é genial e o seu canto mais genial ainda”, declara o músico.

Amiga e colega de profissão há quatro anos, por intermédio do grupo MPB Unicap, Surama Rheis, que é uma das cantoras convidadas do show, afirma sua admiração pela beleza e identidade vocal de Laís. “Ela chegou ao MPB um tanto tímida, mas nunca me enganou, tanto que eu viva instigando-a a soltar tudo e liberar aquele vozeirão que ela traz guardado. E quando eu quero brincar com algumas cantoras eu sempre fico perguntando: e aí minha filha, quando é, mesmo? Quando é mesmo, o quê? Quando é mesmo que você vai soltar todo esse potencial pra a gente conhecer de verdade? E Laís fez isso com muita maestria. Fico muito tranquila quando a indico para os amigos que gostam da boa música o show de Laís Xavier. Laís tem um cuidado com a escolha do repertório, o modo como conduz, é muito lindo o trabalho dela. Daí não tem como dar errado”, conta a cantora.

Segundo Surama, Laís consegue transmitir, no palco, o cuidado com o trabalho musical preparado. “Ela envolve, embala, conduz o público que eu tenho certeza, só tende a crescer a cada show realizado. Quando ela solicitou que eu indicasse algumas canções para serem apreciadas, eu fiquei muito grata e como não tenho nada de meu, enviei o meu repertório completo para que ela pudesse compor sua obra de arte. Eu me senti muito grata por ser uma das convidadas a dividir esse momento com ela, tentar acrescentar junto ao grande trabalho que Laís vem fazendo”, diz ela.

Estudante do curso técnico em Canto Popular do Conservatório Pernambucano de Música (CPM), Laís Xavier afirma estar se descobrindo em alguns elementos do universo musical assim como em outros se reafirma, mas percebe um carinho especial pelo samba que estará presente no seu primeiro trabalho autoral de estúdio. “Nada me dá mais arrepio que esse gênero musical que é, tipicamente, brasileiro e que transmite tanta verdade. Dessa forma, eu me identifiquei, rapidamente, com o samba e com o choro. Eu acho de vital importância fazer com que esse estilo musical chegue para as novas gerações, que é o que eu pretendo fazer no meu EP de lançamento. Os jovens conhecem o samba, sabem que existe, mas é tudo muito superficial por conta do imediatismo da geração 2000. Se o samba é pouco conhecido, o choro nem existe pra eles. Eu quero fazer com essa cultura chegue pra esse público”, diz ela.

LAÍS XAVIER – Com 23 anos de idade e 10 de carreira, iniciou sua vida musical na igreja. Sempre muito tímida, era na música que encontrava segurança para desenvolver melhor suas relações pessoais, a partir do contato com o público. O amor pela sua forma preferida de comunicação cresceu e veio a vontade de se aprimorar mais na área. Em 2015, iniciou seus estudos no Centro de Educação Musical de Olinda (CEMO), onde frequentou aulas de canto e teoria musical. Em 2018, foi aprovada no teste e garantiu vaga no curso técnico do Conservatório Pernambucano de Música (CPM), para trabalhar, ainda mais, as potencialidades de seu principal instrumento: a voz. Paralelamente aos estudos vocais, também toca violão e ukulelê.

Além da carreira solo, atua como vocalista nos grupos Vocal 4por4 e MPB Unicap, tendo passagem por grandes palcos como dos teatros Luiz Mendonça, Guararapes e Santa Isabel. Em 2014, começou sua trajetória como compositora, escrevendo a canção “Maré Vermelha”. Para 2019, planeja gravar o seu primeiro EP, com repertório autoral.

Serviço
O quê? Show Aqui, tem mais samba! (Laís Xavier)
Quando? Amanhã (08/02/2019) às 21h
Onde? Casato Bistrô (Avenida Rui Barbosa, 1503, Graças, Recife/PE)
Quanto custa? R$20 (couvert artístico)

Reviver

Um céu com nuvens escuras, fim de tarde, encontros, desencontros, amores naquele banco vividos. Como pode uma simples praça ser tão carregada de sentimentos esquecidos? Sentimentos mortos que passam pelo outono de nossas vidas para, um dia, renascer na primavera, renascer sem a melancolia e a culpa de amores deixados para trás. Ah! O bem que a morte nos traz, fazendo com que a cada dia ressuscitemos para outros sentimentos.

laís xavier

Este post foi sugerido e escrito pela cantora, compositora e estudante de Comunicação Social com habilidade em Publicidade e Propaganda, Laís Xavier (canal Laís Xavier). Você, também, pode sugerir o seu e compartilhar na aba Contato, aqui, do Fuá de Clara. Leremos com carinho a sua sugestão que, sendo aprovada, poderá ser publicada na categoria Trombeta, porque aqui a gente toca as trombetas pra você falar =)