Início do fim

Oi. Tudo bem? Desculpa mandar mensagem essa hora, mas precisava falar. Eu só queria avisar que você deixou de ser conversa fixada no meu Whatsapp, que todas as nossas fotos juntos foram apagadas e que as nossas playlists do Spotify, também. Sobre a senha da Netflix, pode ficar. Não quero nada que possa me fazer lembrar de você. Você não foi o meu pior erro, mas também não foi um acerto. Vista sua melhor roupa, pois hoje você está saindo da minha vida. E vai, logo! Nem olhe pra trás. Você que causou tudo isso, então nem tente questionar minha decisão. Esse não é o final que sonhei, porém é o que temos pra hoje. Depois dessa mensagem, bloquearei você de tudo e não ouse usar outras contas pra se aproximar. Eu quero ser feliz todos os dias e você só em alguns momentos. Eu quero lutar contra o mundo por esse amor e você não está nem aí. Eu tentei planejar um futuro ao teu lado e você não se importa. Cansei de ser usado para inflar o teu ego, procura outro! Se quer viver de aventuras, viva bem longe de mim. Vai! Teu lugar não é mais ao meu lado.

Texto do estudante de Letras Luan Vasconcelos.

Você, também, pode sugerir o seu e compartilhar na aba Contato, aqui, do Fuá de Clara. Leremos com carinho a sua sugestão que, sendo aprovada, poderá ser publicada na categoria Trombeta, porque aqui a gente toca as trombetas pra você falar =)

Acasos que marcam

É bem verdade que algumas feridas, ainda, sangram, de vez em quando, e as cicatrizes são bem visíveis, no meu coração. Mas, quando te encontro, no acaso dos dias, quando nossos olhares se cruzam, pelo caminho, o que sinto é algo que só consigo chamar de alegria. Sim! Alegria. Eu não consigo explicar. Parece que minha racionalidade é suprimida pela força desse sentimento do passado e dessa alegria repentina, causada pela tua presença. Então, você sorri. E percebo que, também, sinto saudade desse sorriso. Ah! Esse sorriso… esse sorriso. Algum cumprimento e o som da tua voz ecoa dentro de mim, e as lembranças das conversas à toa vem a tona. Tenho vontade de tentar outra vez. Será que vale a pena? Não tenho tempo para pensar muito. Estávamos, apenas, atravessando a rua. Seguimos nossos caminhos. E, agora, só me restam as cicatrizes, a alegria, a saudade, as lembranças, porque você… você se foi. Mais uma vez.

Luan Vasconcelos

Texto do estudante de Letras Luan Vasconcelos.

*Você, também, pode sugerir o seu e compartilhar na aba Contato, aqui, do Fuá de Clara. Leremos com carinho a sua sugestão que, sendo aprovada, poderá ser publicada na categoria Trombeta, porque aqui a gente toca as trombetas pra você falar =)

Sobre rios e pessoas

Talvez você já tenha visto algum vídeo onde alguém pula para dentro de um rio. Porém, sem saber ao certo a profundidade, desconhece que ali, naquele ponto, o rio é raso, que existem pedras, que o perigo está à sua frente, acaba se machucando ou, em muitos casos, morrendo.

A imprudência pode ser usada como vertente explicativa de fatos assim. Sem ter a certeza do que o espera lá embaixo a pessoa salta, acredito eu, desejando que tudo acabe bem.

Imaginemos, então, que as pessoas são como os rios. E, muitas vezes, somos imprudentes. Não conhecemos a profundidade do outro e logo nos lançamos de cabeça. Mas como o rio, apenas parecia profundo. Era superficial e acabamos bem machucados, quando não com os sentimentos mortos.

Tenho visto muita superficialidade hoje em dia. E, mesmo as pessoas que antes não ficavam nas margens, depois de tantas feridas nem se atrevem a sair da ponte.

É tudo muito raso! Falta profundidade. Falta verdade. Falta olho nos olhos. Falta abraço apertado. Falta beijo demorado. São tantas faltas que desconfio que estamos esquecendo como é ser humano. Afinal, faz parte de nossa espécie o contato físico e emocional.

E cada vez mais rasa, essa geração tem criado pessoas cada vez mais feridas e fechadas em si. Onde chegaremos se não mais damos/somos profundidade? Preste atenção onde você saltará da próxima vez, mas não deixe de saltar. Rio adentro existe uma beleza que só os corajosos poderão ver. Mas também, não seja raso. Tenho certeza que alguém quer conhecer as maravilhas do teu interior.

Luan Vasconcelos

Texto do estudante de Letras Luan Vasconcelos.

*Você, também, pode sugerir o seu e compartilhar na aba Contato, aqui, do Fuá de Clara. Leremos com carinho a sua sugestão que, sendo aprovada, poderá ser publicada na categoria Trombeta, porque aqui a gente toca as trombetas pra você falar =)


A família que o nosso coração escolhe ter

Amigo: o irmão que não é de sangue. O psicólogo que é de graça. O abraço sempre apertado. A risada sem motivo. As loucuras sem limites. As conversas bobas de madrugada. O puxão de orelha na hora certa. O ombro preparado. As mãos que nos enxugam as lágrimas. O remédio das feridas causadas pelas paixões. O amor que nunca morre.

Luan Vasconcelos

Texto do estudante de Letras Luan Vasconcelos

*Você, também, pode sugerir o seu e compartilhar na aba Contato, aqui, do Fuá de Clara. Leremos com carinho a sua sugestão que, sendo aprovada, poderá ser publicada na categoria Trombeta, porque aqui a gente toca as trombetas pra você falar =)