O ano virou só pra te lembrar disso

Quantos recomeços já desejamos? Você daí de onde busca motivos para sentir esperança e eu daqui do lugar onde desejo te reencontrar? Por quantas coisas já passamos? Você daí se recusando a dar mais um passo sem encontrar sentido e eu daqui de posse de todos os sentidos tentando arrumar uma forma de te fazer enxergar. Eu sou você e você sou eu. Ninguém mais do que eu entende o que você sente. Daqui, por isso, preciso que você acredite: vai passar. Não sei se hoje, não sei se amanhã, mas passa. Tem mais vida por aí e o ano virou só pra te lembrar disso.

Fizemos um bom trabalho: aprendemos a abrir mão. Abrimos mão da dor, do cansaço, da insistência numa vida que você deixou que desejassem por você. Sabemos que há mais além, embora não saibamos o quanto e o quê. Mas sabemos o principal: nem tudo aquilo que aprendemos a acreditar como certo é o certo para nós. Mesmo que a vida possa estar sendo dura, te peço, como alguém que é você num futuro melhor: apenas, continue. Não pensemos nas seguranças materiais que gostaríamos de ter, não pensemos no valor que os outros dão baseados em status ou em conta bancária, não pensemos em idade, no vão do passar do tempo. Não… pensemos no hoje. Um hoje que renasce em um grande ciclo de mais de trezentos dias, mas não pensemos nesses dias. Pense no dia primeiro. O primeiro dia de quê? Sonhe sem medo. Imagine, crie a sua imagem holográfica e a entregue ao vento certo. Ventos de gratidão, de coragem, de amor, de vontade de ser feliz.

Fizemos grandes coisas em um grande ano do qual nos despedimos com amor e gratidão. Ele nos trouxe até aqui e nos levará a um lugar diferente. Por mais um dia primeiro eu te peço: acredita! Tudo o que precisava sair, saiu. Tudo o que precisava chorar, chorou. Tudo o que precisava curar, curou. Agora deixa ir… Deixa ver o que tem. Aceita, mesmo sem ter certeza do que vai servir. Vai descobrindo no caminho, vai driblando as dificuldades com vontade de fazer as coisas que você gosta, vai mostrando pra a vida que você não vai desistir, ainda que não consiga hoje porque fazer o que se ama é bem maior do que cumprir uma meta material. Cumprir um propósito espiritual engrandece mais do que pensar no que os outros pensam.

Daqui do futuro, eu seguro a tua mão e te digo: vem! Estou te esperando mais madura, mais bonita, mais leve, mais feliz e mais realizada. Hoje é o nosso dia primeiro e eu prometo que vamos nos reencontrar.

Do eu para o ego.

Me trazer de volta

Paulista, 13 de junho de 2018

Querido Deus,

Ainda me surpreendo com a Tua forma de falar com as pessoas. Pergunto-me se todas possuem condições de interpretar os Teus sinais e logo me respondo que não. Por isso, imagino eu, o Senhor arruma novas e novas formas de falar a mesma coisa, até que nós ouçamos/percebamos a mensagem. Às vezes, o Senhor fala por intuição, outras vezes por acontecimentos, outras por pessoas, outras, ainda, por repetições. Isso mesmo. O Senhor é tão esperto e a Tua criatividade é tão infinita (assim como a Tua grandeza e bondade) que permite que os mesmos ciclos se repitam, que os mesmos sofrimentos retornem vestidos com outras roupas só para que nós tenhamos a oportunidade de entender o que tanto queres falar.

Eu preciso agradecer. Eu entendi que a gratidão é a força motriz que traz a cura para as dores, clareza para a alma, direcionamento para os objetivos. Eu preciso agradecer por todas as coisas, as boas e as ruins, as presentes e as ausentes, o que se pode ver e o que, ainda, não foi visto. Eu agradeço porque, nos últimos tempos, o Senhor me ensinou que os maiores sofrimentos são os maiores empurrões. A gente sofre e entra em contato com a nossa alma, a gente sofre e não tem controle sobre a sensibilidade, a gente sofre e busca entender. Essa busca é fundamental para nos encontrar com o Teu propósito de evolução.

É tanta coisa que aprendi que é, até, difícil explicar. Repetições me fizeram enxergar que todo aprendizado não é suficiente para nos manter conectados. O que nos conecta são as práticas diárias de ir até Ti, seja por leituras e estudos, reflexões, atividades que nos fazem perder a noção do tempo, ajudar o próximo, meditar, principalmente. Uma desconexão com a nossa essência pode acarretar consequências catastróficas. De repente, de mansinho, uma emoção negativa se aloja e convida outras a entrarem, sorrateiramente. A gente fala uma bobagem, cria uma preocupação, julga sem querer, se vitimiza, vive com pressa e pronto: na hora em que tudo explode, o estrago está feito.

Descobri que uma das atitudes mais difíceis da vida é retornar a se descobrir depois de pensar que já havia feito de tudo. É trilhar, pela segunda vez, o mesmo caminho de volta por ter traído a si. Imagine, Senhor, o que é pensar positivo, fazer por onde alguma coisa mudar e ver nada, absolutamente nada, sair do lugar… É desesperador. Imagine sofrer uma série de perdas simultâneas pra poder sentir uma dor inimaginável pra poder perceber que tudo o que a gente recebe é reflexo de tudo o que a gente emana e, mesmo assim, não saber como faz pra mudar. Perder tudo pra poder entender, pela segunda vez, o quanto é importante agradecer. Perder tudo pra poder entender que as respostas e os suportes estão dentro e não fora. Perder tudo pra poder sofrer, pra poder buscar, pra que alguém me diga que pensar positivo não é o suficiente se o meu sentimento estiver me sabotando…

Imagine, Senhor, ter que voltar a um lugar, dentro de mim, que eu achava já ter preenchido com terra fértil e plantado bem. Quem sabe, florestas poderiam ter sido criadas se eu não tivesse parado de alimentar a minha conexão e priorizado a minha pressa. Passou. Aprendi que não posso mudar o que passou. Não posso mudar o que podem ter feito comigo. Mas eu posso escolher o que fazer com isso. Eu posso decidir como reagir a isso. Posso ir Te encontrar todos os dias e pedir a Tua ajuda para perdoar, para gerar amor, para curar as feridas, para limpar a densidade das emoções ruins, para ser amor. Posso usar as forças que me restam para lutar contra pensamentos que me destroem e que eu permiti que entrassem sem nem perceber por causa da dor, posso medir minhas palavras e fazer um esforço pra deixar de reclamar, de julgar, de me pôr no lugar da vítima. Posso lutar por mim, para ter um coração leve, para entregar, nas Tuas mãos, meus maiores sonhos, para me dedicar ao trajeto de ir ao encontro do que mais preciso.

Essa é a luta silenciosa mais difícil que eu conheço mas sei que é a única que, realmente, vale a pena. A gente não tem o poder de fazer uma mudança exterior acontecer sem, antes, trabalhar para que ela ocorra dentro de nós. É a parte mais difícil da vida: mudar aquilo que a gente sente, aquilo que não nos serve. Quando a gente consegue… a gente chega mais perto de Deus.

Estou tentando de novo, meu Deus. Agradeço por me trazer de volta.

Com amor,
Sua filha.