A arte de se vencer

Passei a manhã pensando, lembrando, lendo, meditando e chorando. No final do rito de preparação, havia chegado a hora de recomeçar. Aí procrastinei: Netflix seguido de sono, mas um sono que não me deixava, verdadeiramente, dormir. Era a inércia me entorpecendo, me amolecendo, querendo me fazer parar. Quem passa pelo sutil momento despercebido da dificuldade de levantar da cama e enfrentar a vida não sabe o quanto é vencedor.